CTTE

ENTENDENDO A DIFERENÇA ENTRE A TÉCNICA DO CQB MILITAR E O CQB POLICIAL

ENTENDENDO A DIFERENÇA ENTRE A TÉCNICA DO CQB MILITAR E O CQB POLICIAL

ENTENDENDO A DIFERENÇA ENTRE A TÉCNICA DO CQB MILITAR E O CQB POLICIAL

 

          As técnicas de combate em ambiente fechado, ou CQB, tem origem profunda nas Operações Especiais Militares. Desde que surgiram os grupos de Operações Especiais, durante a segunda grande guerra, americanos e britânicos idealizaram pequenos grupos de combate, para realizar missões consideradas impossíveis, para atuarem de forma individualizada e independente. Ao longo dos anos estes grupos desenvolveram técnicas especiais de combate, para todas as situações e terrenos, apenas com uma finalidade destruir instalações, linha de comunicações e suprimentos e principalmente, eliminar o inimigo.

          Ao longo da história estes grupos tornaram-se tão eficientes, quanto famosos. Já na década de 60, surgiu nos USA, a primeira unidade policial a adotar as técnicas de operações especiais, adaptadas ao confronto urbano, para situações especiais. Com o passar dos anos, no mundo inteiro os departamentos de policia passaram a criar e investir em seus grupos táticos e especiais, adotando as técnicas originadas na raiz militar.

          Devido a  diferença na ação, dos grupos policiais, as técnicas foram adaptadas, para a finalidade policial, até porque, tendo origem militar seus movimentos e finalidades era um só - eliminar o inimigo.  A técnica policial tem por finalidade a ação para prender o criminoso garantindo-lhe sempre a integridade dentro dos limites garantidos por lei.

        Portanto, em uma análise direta podemos dizer que as técnicas militares foram desenvolvidas para eliminar o inimigo, enquanto as técnicas policiais são para prender o criminoso. Por este motivo é que neste artigo pretendemos deixar bem claro a diferença na forma do procedimento de cada modalidade para essa e aquela finalidade.

          Tanto as técnicas de CQB Militar, como as do CQB Policial baseiam-se nos mesmos movimentos seguros criados, desenvolvidos e aprimorados, para o confronto aproximado, ou a extrema curta distância. Estar em frente a uma porta para invasão de um lugar hostil não é para qualquer um. Requer muito preparo e domínio das técnicas de confronto aproximado. O preparo psicológico para esta atividade somente se alcança com o treinamento exaustivo e uma boa dose de coragem.

        No CQB Militar foram desenvolvidas, tanto as formas de entrada Dinâmica, quanto as técnicas para entrada Tática ou Silenciosa. Neste artigo o que pretendemos tratar é exclusivamente quanto as técnicas de entrada Dinâmica, pois é neste ponto que encontramos a fundamental diferença entre ambas. Esta diferença baseia-se fundamentalmente em sua finalidade e objetivo, ou seja eliminar ou prender.

       A entrada Dinâmica se fundamenta em um Tripé: O Elemento Surpresa, Velocidade e a Técnica Empregada. Quando falamos em técnica militar estes três elementos podem variar, conforme a situação empregada. Já na técnica policial, a qual procura evitar o confronto, este tripé é indispensável e deve sempre ser preservado.

Entrada Dinâmica no CQB Militar:

            Durante o desenvolvimento do CQB Militar a técnica de entrada Dinâmica procura preservar o elemento surpresa, já a velocidade de progressão no interior do ambiente pode variar justamente para facilitar, ou dar maior segurança durante o confronto, para a tomada de pontos. Progredir de forma lenta esperando o confronto é característico das ações do CQB Militar, pois desta forma tem-se a possibilidade de avanço ou recuo.

           Mesmo após uma entrada explosiva ocasionando a perda do Elemento Surpresa, a velocidade da equipe pode variar e o movimento pode manter-se lento, mas continuo e sempre baseado, no fogo de proteção ou saturação de fogo contra o inimigo, pois a finalidade poderá ser eliminá-lo. Aliado a isso tem-se a opção do emprego de granadas e outros artefatos explosivos que facilitam e aumentam o poder destrutivo do grupo de entrada.

Entrada Dinâmica no CQB Policial.

    O CQB Policial possui características diferenciadas que devem ser observadas. Apesar de ser fundamentalmente diferentes na finalidade e objetivo, existem pontos que devem ser ressaltados e preservados. O objetivo do CQB Policial, seja para execução de mandados de Busca, Prisão e até mesmo para operações de Resgate de Reféns, constitucionalmente possui sempre o mesmo objetivo: Prender o criminoso.

          Em uma análise grotesca e superficial até pode se dizer que o CQB Policial é imensamente mais difícil de ser executado do que o militar, pois neste é só atirar e naquele temos que levar em consideração uma série de regramentos legais, para não incorrermos em crime de execução. Não é bem assim, pois na atualidade as guerras se desenvolvem em ambientes urbanos e as circunstâncias estão muito próximas umas das outras.

      Aquele Tripé que falamos anteriormente, Elemento Surpresa, Velocidade e a Técnica Empregada são fundamentais para a execução do CQB Policial, pois aqui procura-se evitar confronto. Neste cenário estes três fundamentos são indispensáveis para o sucesso de qualquer ação policial. O Grande fundamento da execução do CQB Policial é executar a ação visando não entrar em confronto com quem se busca, para isso nosso grande aliado é o Elemento Surpresa. Obviamente o Elemento Surpresa se esvai parcialmente, a partir do momento em que se rompe o obstáculo para ingresso, seja ele de forma mecânica ou manual. Uma vez perdido o Elemento Surpresa estaremos correndo contra o tempo. Uma das principais perguntas é: Quanto tempo temos para executar esta ação, após a perda do elemento surpresa?

         Estudos mostram que o ser humano ao ser acordado de forma abrupta durante o horário de seu sono mais profundo, que é alcançado, ao final da madrugada (segundo quarto de hora, das 04h as 06h), tende a levar em média 10 segundos, para entenderem o que esta acontecendo ao seu redor. O fato de os policiais arrombarem a porta e entrarem gritando "policia" e batendo os pés, com passadas firmes no chão, servem para o atordoamento de quem esta no interior do ambiente, deixando-o temporariamente confuso, até que alcance novamente a lucidez. Esta janela de tempo de 10 segundos propicia aos policiais, o tempo necessário para a tomada completa do ambiente. Por este motivo é que as policias executam seus mandados nas primeiras horas da manhã. Teoricamente o horário do sono mais profundo do ser humano. (em meu livro CQB CTTE explico bem esta passagem - recomendo a leitura)

        Sabedores destes detalhes isso nos propicia a elaboração de um planejamento quão mais perfeito e eficiente, para a execução de uma operação que envolvam ações de CQB Policial.

         Portanto, ai esta a grande diferença entre o CQB Militar e o CQB Policial, enquanto naquele, após o rompimento do obstáculo, para ingresso, a equipe se desloca de forma lenta e continua, para ter mais segurança durante um possível confronto, pois o responderá com violência e grande poder de fogo. Neste, a equipe após o rompimento do obstáculo procura deslocar com a maior velocidade possível (conceito de velocidade para grupos americanos - Ande tão depressa quanto tua cabeça possa acompanhar tuas pernas), no interior do ambiente, a fim de dominá-lo, no menor tempo possível (10 segundos), colocando uma célula tática em cada cômodo. Desta forma evitará o confronto, pois ainda estará sob os resquícios do Elemento Surpresa a seu favor.          

           Existe uma outra grande diferença entre a execução das técnicas de CQB Policial, quando se trata de seu emprego para o cumprimento de Mandados de Busca e Prisão e quando são executadas para Resgate de Reféns. Infelizmente muitos operadores experientes não sabem esta diferença. Acham que é tudo a mesma coisa, mas existe uma diferença fundamental na sua execução. Em meu livro de CQB CTTE abordamos este tema. Se desejas conhecer esta diferença recomendo a leitura.

Autor: Marcos Vinicius Souza - Policial Civil - Instrutor de OESPP.

Autor dos Livros: Manual de Técnicas e Procedimentos Policias e CQB CTTE. Os dois livros podem ser adquiridos via site www.ctte.com.br/loja

 





TOP